“A pandemia repercutiu fortemente no campo econômico, diminuindo a renda de muitas famílias e a receita de muitas empresas. Fazer essa correção, neste momento, traria inúmeros prejuízos para a população”, disse o prefeito Ari Lafin que, antes de se afastar por 10 dias, deixou a atribuição ao vice Gerson Bicego, que assume hoje (20) como prefeito interino. “Assumindo oficialmente, Gerson já fica imbuído da missão de, juntamente com os secretários de Administração, Governo e de Fazenda, acompanhar o trâmite legislativo do projeto e, se aprovado, sancionar a lei”.  

Se aprovado o projeto, a Prefeitura ficará autorizada a manter em 2022 o valor venal dos imóveis, bem como as taxas incidentes no lançamento do IPTU do exercício de 2021.  

“Essa medida representa uma economia para o munícipe de 10% no pagamento do IPTU, que não sofrerá o reajuste. Estamos fazendo isto visando a retomada da economia do Município. Contamos com o apoio da Câmara na aprovação do projeto, para que possamos proporcionar esse benefício ao contribuinte”, reforçou o secretário de Administração, Estevam Calvo.   

 

Após aprovação plenária e sanção executiva, o Departamento de Tributação da Prefeitura irá atualizar o imposto. 

“Pedimos a compreensão do contribuinte, pois teremos que calcular novamente os valores e o IPTU deverá ficar pronto somente no final de fevereiro”, diz a diretora do Departamento, Vanice Fronza.

Devido à diminuição do poder econômico da população, bem como das dificuldades financeiras enfrentadas nos últimos meses em decorrência da pandemia, a Administração Municipal protolocou também projeto de lei que dispõe sobre o valor da UVC - Unidade de Valor para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP), permanecendo o valor do exercício de 2021.