06/09/2022 às 21h42min - Atualizada em 06/09/2022 às 21h42min

Produtores Rurais enfrentam dificuldades no combate aos incêndios

Os agricultores têm demonstrado responsabilidade ambiental e produtiva no enfrentamento ao fogo.

Rômalo Bessa
Mato Grosso Rural com Regional News MT

Divulgação / Corpo de Bombeiros de MS
Apesar das dificuldades enfrentadas por muitos agricultores, o setor produtivo em Mato Grosso tem demonstrado engajamento responsável com as causas ambientais, diante do trabalho realizado no combate ao fogo em áreas de campo. Os efeitos de queimadas e acidentes rurais podem resultar em sérios problemas à saúde humana, além do prejuízo em áreas de cultivo.

Segundo o Engenheiro Agrônomo Wesley Moraes, o fogo pode danificar o solo e, consequentemente, prejudicar a produtividade agrícola. "Além do risco para a saúde, risco de incêndios em florestas, ela também prejudica o solo a longo prazo devido a eliminação de nutrientes como nitrogênio, fósforo e potássio. São essenciais para a cultura que a gente trabalha", disse o agrônomo.

Além dos efeitos naturais, a preocupação do setor do agro também é no modo interpretativo da fiscalização, que pode ocasionar multas dependendo da situação.
De acordo com a advogada especializada em Agronegócios, Dra. Rebeca Youssef, existem medidas que podem ajudar o produtor.

"Garantir que esse acidente com o fogo não seja confundido com o crime ambiental, então a medida prioritária do produtor deve ser documentar o acidente com fotos e vídeos e registrar um boletim de ocorrência com testemunhas. Outras medidas também são muito bacanas como, gravar a ação de combate ao fogo, buscar o registro de atendimento do Corpo de Bombeiros e Defesa Civil se houver, e levar toda essa documentação ao cartório de notas para que o tabelião redija uma ATA Notarial", explicou a advogada.

Em entrevista ao Regional News MT, o presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Silvano Filipeto, defendeu que o produtor possa ter uma linha de crédito específica para a aquisição de equipamentos de combate ao fogo.
"Não tem condição. O produtor está tendo que se virar sozinho, o que a gente está indo buscar nos órgãos é que nós precisamos de uma linha de crédito específica para o produtor rural adquirir seu prórpio implemento, seu próprio caminhão de combate a incêndio a prazo longo e com juro zero", disse o agricultor.

Filipetto aproveitou para dar voz a ideia de que o produtor rural possa ter um auxílio mais próximo por parte do setor público, através dos Governos Estadual e Federal, já que os municípios ajudam por meio de prefeituras.

"Tem que se pensar em aplicar nisso. O Governo Federal talvez nos ajudar nisso também, Ministério da Agricultura, pensar em alguma coisa diferente porque realmente o produtor está preocupado, está um CAOS. Se acontecer algo em duas ou três fazendas ao mesmo tempo, nós não temos condições de apagar esse incêndio. Nós teríamos que ter aviões disponíveis para que esse tipo de combate a incêndio aqui, acho que o Estado poderia nos ajudar nisso", disse o presidente.

No final do mês de agosto, várias equipes do Corpo de Bombeiros compostas por cerca 50 militares estiveram no combate às chamas registradas na região da Vila dos Lagos próximo à capital Cuiabá. Em Mato Grosso, o Governo do Estado adquiriu novas aeronvaes para combater incêndios florestais, porém a demanda tende a aumentar em períodos de seca.


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://regionalnewsmt.com/.