É o que explica o adjunto da pasta, Enilvaldo Golmini. “Já no início do ano realizamos um apanhado de todos os projetos desenvolvidos e das muitas famílias para quem a nossa equipe dá assistência: temos muita agricultura familiar dentro de Sorriso”, diz. “Há os dois assentamentos – Jonas Pinheiro e Santa Rosa; o Projeto Casulo; o Cinturão Verde e cada espaço tem suas próprias particularidades e necessidades; temos hoje uma grande diversidade que inclui o peixe, o leite, o mel, as aves, frutas e verduras, mas vai muito além com plantações de produtos que até então comprávamos fora como é o caso da uva, do açaí. Há muito o que falarmos sobre agricultura familiar”, destaca Golmini.

E o planejamento mostrou a necessidade de ampliar. Para isso, a equipe já identificou a necessidade novos e mais dias de campo que vão desde a poda da uva e passam pelo turismo rural, além dos já tradicionais dias da horta viva, da ave caipira, da piscicultura e do mel. “Estruturamos um planejamento de ações para 2023 com dias de campo, palestras, orientações e visitas domiciliares”, explica o agrônomo Bruno Maia.

O secretário da pasta, Marcelo Lincoln, aproveitou para pontuar que todo o trabalho realizado tem muito do empenho de cada técnico “e também do nosso ex-colega, Márcio Kuhn, que auxiliou na elaboração e fortalecimento de cada projeto em desenvolvimento”, diz. Para ele e o prefeito Ari Lafin há muito mais a ser feito e será feito a partir da criação da Secretaria de Agricultura Familiar que será oficializada nos próximos dias.