28/06/2021 às 08h57min - Atualizada em 28/06/2021 às 08h57min

Após 20 dias, Lázaro é preso, segundo governador de Goiás.

Acusado de matar 4 da mesma família em Ceilândia (DF), homem de 32 anos estava fugindo em zonas rurais há quase três semanas.

R7
R7

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, afirmou na manhã desta segunda-feira (28) que o foragido Lázaro Barboza foi preso. A publicação foi feita nas redes sociais de Caiado.

"Acabo de receber uma informação de todas as forças de segurança que estão ali na região de Cocalzinho que o Lázaro foi preso. Cumprimentar a todos aqueles que estão ali há vários dias trocando informações e chegando a esse resultado final, com a prisão do Lázaro", afirmou o governador de Goiás.

O foragido foi finalmente capturado após 20 dias em fuga na zona rural de Goiás. Lázaro, de 32 anos, é apontado como responsável pela morte de quatro pessoas da mesma família em Ceilândia, na região administrativa do Distrito Federal.

As buscas haviam sido intensificadas. Dois helicópteros foram acionados, houve reforço no número de viaturas mobilizadas e o secretário de segurança de Goiás, Rodney Miranda, se dirigiu a região de buscas intensas no município de Girassol, que teve seu acesso fechado à imprensa por uma barreira policial. As equipes passaram por lá por volta de 14h às 17h, quando voltaram para a base, montada em uma escola municipal. No início da noite as equipes retornaram à região, onde quatro peritos foram acionados, e por volta das 19h40 deixaram a área em direção à base.

Na região, pela manhã, houve um tiroteio registrado por equipes da Record TV. Em uma área próxima, um caseiro relatou na quarta-feira que trocou tiros com um homem que poderia ser Lázaro, mas não soube informar se o suspeito foi atingido. 

Na terça-feira (22), os policiais encontraram um carro abandonado e incendiado na região conhecida como Gruta dos Ecos, na saída do distrito de Girassol, em Cocalzinho de Goiás. A polícia e a perícia foram delocadas para o local para coletar impressões digitais do automóvel.

De acordo com as apurações, Lázarou chegou a trocar tiros com as equipes de segurança durante as buscas na zona rural de Edilândia, no dia 15, e um policial ficou ferido. Dias depois, nova troca de tiros, mas em ninguém atingido.

Durante a fuga, a polícia disse que o acusado circulou por áreas rurais com habilidade, agindo sempre da mesma maneira: armado, invadindo fazendas para se alimentar, beber e descansar, obrigando os moradores a cozinhar para ele.

Em duas semanas, ele matou pelo menos quatro pessoas, baleou outras três e fez reféns em chácaras. No passado, além dos crimes na Bahia, se envolveu com agressões em Goiás, roubos e estupros em Brasília.

Além do massacre da família Vidal, de acordo com a Polícia Civil, Lázaro coleciona três mandados de prisão em aberto por roubos e estupro, em Goiás, e por um homicídio na Bahia. No Distrito Federal, ele é investigado por homicídio e roubo seguido de estupro. Além disso, o acusado está foragido da penitenciária de Águas Lindas de Goiás há mais de três anos.

Apesar de circular por povoados e propriedades rurais, Lázaro já usou a tecnologia para o interesse próprio. Redes sociais serviram como facilitador, onde se passava por bom rapaz e se aproxiava de vítimas.

Em 2013, após ter sido preso, passou por avaliação feita por uma junta médica. Na época tinha 26 anos, e o laudo apontou características de personalidade agressividade, ausência de mecanismos de controle, dependência emocional, impulsividade, instabilidade emocional, possibilidade de ruptura do equilíbrio, preocupações  sexuais e sentimentos de angústia.

 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Comentar

*Ao utilizar o sistema de comentários você está de acordo com a POLÍTICA DE PRIVACIDADE do site https://regionalnewsmt.com/.
Fale pelo Whatsapp
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp